𝐂𝐡𝐚𝐫𝐜𝐨𝐬 𝐏𝐞𝐝𝐚𝐠𝐨́𝐠𝐢𝐜𝐨𝐬 𝐝𝐨 𝐂𝐞𝐧𝐭𝐫𝐨 𝐂𝐢𝐞̂𝐧𝐜𝐢𝐚 𝐕𝐢𝐯𝐚 𝐝𝐞 𝐁𝐫𝐚𝐠𝐚

No dia 2 de fevereiro assinala-se o 𝗗𝗶𝗮 𝗠𝘂𝗻𝗱𝗶𝗮𝗹 𝗱𝗮𝘀 𝗭𝗼𝗻𝗮𝘀 𝗛𝘂́𝗺𝗶𝗱𝗮𝘀. Designamos como "zonas húmidas" todas as áreas inundadas ou alagadas com água, permanentemente ou por um determinado período de tempo. Podem ser pântanos, charcos, lagos, rios e pauis, entre outros ecossistemas. Esta efeméride tem como objetivo sensibilizar para a importância destes locais e da necessidade da tomada de ações de proteção e preservação.

O Centro Ciência Viva de Braga assinala esta data com a apresentação dos Charcos Pedagógicos do Centro Ciência Viva de Braga.


Os Charcos Pedagógicos do Centro Ciência Viva de Braga constituem os charcos construídos no âmbito dos Clubes Ciência Viva na Escola, onde o Centro Ciência Viva de Braga implementou o projeto "Criação e monitorização de charcos pedagógicos"; o charco pedagógico do Centro Ciência Viva de Braga, assim como outros charcos monitorizados pelo CCVBraga.

São eles:

  • Charco da Escola Básica de Moure, Vila Verde

  • Charco da Escola Básica de Ribeira do Neiva, Vila Verde

  • Charco da Escola Básica de Vila Verde

  • Charco da Escola Básica Monsenhor Elísio de Araújo, Vila Verde

  • Charco da Escola Básica Professor Carlos Teixeira, Fafe

  • Charco da Escola Básica Professor Abel Salazar, Guimarães

  • Charco da Escola Básica António Feijó, Ponte de Lima

  • Charco da Escola Básica de Trigal de Santa Maria, Braga

  • Charco do Centro Ciência Viva de Braga

Os Charcos Pedagógicos do Centro Ciência Viva de Braga são projetos com objetivos a longo prazo. O elevado valor educativo destes ecossistemas permite a realização de atividades lúdico-científicas nos estabelecimentos de ensino onde se inserem e a envolvência de toda a comunidade escolar. As atividades de monitorização do charco permitem a criação de dinâmicas de aprendizagens e troca de experiências e conhecimento entre alunos e professores.


Na implementação do projeto "Criação e monitorização de charcos pedagógicos" nos Agrupamentos de Escolas e Escolas, o Centro Ciência Viva de Braga dinamiza várias ações de aprendizagem, adaptadas aos ciclos de ensino. É realizada uma introdução teórica sobre construção de charcos e os alunos participam ativamente na construção do charco na sua escola. Para além disso, são dinamizadas atividades teóricas e práticas sobre a importância dos charcos, monitorização e identificação da biodiversidade existente, com o auxílio de lupas binoculares e digitais.


Assim, é possível a exploração de conteúdos pedagógicos, inseridos nas metas curriculares de cada ciclo letivo, sendo que esta temática pode e deve ser explorada em diversas disciplinas.


Adicionalmente, a construção e monitorização do charco na escola permite a produção de conhecimento. A monitorização dos parâmetros bióticos e abióticos do charco, assim como a realização de atividades escolares, gera informação importante que pode ser utilizada na criação de uma base de dados. Para além disso, os resultados obtidos ao longo do tempo neste projeto podem ser divulgados para toda a comunidade escolar, em feiras de ciência e tecnologia e concursos de ciência.


De notar que a construção de charcos é uma forma de conservação destes ecossistemas e da preservação da sua biodiversidade. A monitorização atenta e periódica dos charcos permite conhecer e identificar as espécies de seres vivos lá existentes e, desta forma, criar aprendizagens essenciais para a proteção e conservação da biodiversidade. Os Charcos Pedagógicos na escola, apesar de serem charcos artificiais, desempenham um papel importante na promoção da biodiversidade e processos ecológicos no local, sendo indiscutível o valor científico destes ecossistemas.


Saiba mais aqui.




Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Nenhum tag.
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square